Uma viagem pelos 80 anos da Sakura

Uma viagem pelos 80 anos da Sakura

Conheça a história de luta e resiliência da família de imigrantes japoneses que fundou a Sakura

A história da Sakura, que completa 80 anos neste 2 de outubro de 2020, começa anos antes, em uma época que o Brasil recebia milhares de imigrantes vindos do Japão. Um dos navios trouxe a família de Suekichi Nakaya. Munidos de seus pertences pessoais, uma forte cultura e muita coragem, eles desembarcaram por aqui em busca de condições melhores de vida.

Assim como a maior parte dos imigrantes japoneses, a família seguiu para o interior paulista, onde a demanda por mão de obra para as fazendas de café era grande, e tinha como principais desafios a língua e os hábitos alimentares. Da farta terra, passaram a tirar insumos para produzir seus temperos típicos, sobretudo o milenar molho de soja. Produzir o próprio shoyu era uma maneira de sentir um pouco dos sabores da terra natal em solo brasileiro.

Entre os muitos imigrantes japoneses que fabricavam o shoyu e o missô para o consumo próprio estava o senhor Suekichi, que anos mais tarde fundaria a Sakura. A empresa, agora tocada por seus sucessores, faz parte do dia a dia dos brasileiros, conta com 4 fábricas e um portfólio de mais de 300 produtos. Confira a seguir os momentos mais marcantes dessa trajetória de sucesso:

1932

Suekichi Nakaya e a esposa chegam ao Brasil. Depois de viverem algum tempo na cidade de Promissão (SP), seguem para a capital. Suekichi passa a produzir shoyu e missô para consumo de familiares e amigos. Na falta de trigo, ele adapta a receita substituindo o ingrediente por milho.

1940

Diante da grande demanda pelo molho que fabricava, a família Nakaya decide abrir uma fábrica. A Sakura foi inaugurada no dia 2 de outubro de 1940. O shoyu era expedido em barris de madeira de 50 e 100 litros e os armazéns revendiam o produto a granel.

1948

A fábrica é transferida para a Rua das Ordenações, na Vila Carrão, e passa a contar com equipamentos mais modernos. Na mesma época, os molhos passam a ser engarrafados em embalagem de 1 litro.

ANOS 60

A produção anual de shoyu chega a 59 mil litros ante à média de 10 mil litros da década anterior.

1970

Fábricas de shoyu entram em crise e muitas fecham. Formado em engenharia química, Renato Nakaya, filho de Suekichi, traz do Japão uma nova visão de negócio, tecnologias para fermentação natural e equipamentos avançados. As inovações garantiram a sobrevivência da empresa.

(Na foto, Suekichi e Renato Nakaya à direita.)

1973

Lançamento dos molhos inglês e de pimenta dentro da marca Kenko, aumentando a diversidade do portfólio da Sakura.

1976 – 1978

A Sakura funde-se com a Hidekazu Nakaya e Filhos, empresa em Presidente Prudente fundada pelo irmão de Suekichi, e amplia sua linha de produção com a incorporação da marca Cereja.

1984

Falecimento do fundador, Suekichi Nakaya, em 28 de fevereiro.

1990

A Sakura inaugura uma fábrica com equipamentos de fermentação 100% natural na cidade de Boituva (SP). Nessa década, ocorre a popularização da comida japonesa no Brasil, o que foi excelente para os negócios da empresa.

1999

Com unidades em São Paulo, Boituva e Presidente Prudente, a Sakura inaugura sua quarta fábrica em Ouvidor (GO), dobrando a produção.

1999 – 2001

Produção e lançamento de molhos de pimenta, mostarda e para salada na linha Kenko.

2006

Importação e instalação de novos equipamentos para fermentação natural na fábrica de Boituva (SP).

2013

Inauguração da expansão da fábrica em Ouvidor (GO).

2020

A Sakura comemora 80 anos com um histórico de inovação, mais de 300 produtos no portfólio e líder no mercado de shoyu, com 13 milhões de litros do produto produzidos por ano.

Sem comentários

Desculpe, os comentários estão indisponíveis no momento.